Criatividade e reputação devem andar juntas

Certa vez, em palestra no Ciesp-Santo André, lancei duas perguntas a um pequeno grupo de empresários:
1-Se você tiver um filho pequeno e este ficar doente, de repente, você o leva ao pediatra ou a um curandeiro?
2- Caso precise de uma cirurgia no coração, vai consultar um especialista ou se joga nas mãos de um residente de plantão no Pronto Socorro?

E, depois de ver alguns sorrisos amarelos, e respostas óbvias, emendei: com a comunicação é a mesma coisa. Não se pode  brincar com qualidade, transparência e reputação. Na condição de consumidor, aposto que você busca sempre qualidade, preço, prazo… ou seja, você quer honestidade dos produtos ou serviços que consome.  Portanto, na condição de fornecedor, é bastante razoável que a sua empresa assuma este protagonismo, o de ser confiável e transparente nas ações tendo, portanto, a integridade corporativa preservada. Em síntese, seja o dirigente de uma empresa de reputação ilibada.

Construir uma marca não é fácil. Mantê-la, em meio ao tiroteio da concorrência – nem sempre leal em seu modus operandi –, é tão ou mais difícil. Logo, se você tem uma empresa, não importa o tamanho ou o setor em que atua, é preciso cercar-se de pessoas comprometidas com o seu ideal. Vai longe o tempo em que cada um atirava para um lado. Hoje, mais que nunca, é preciso foco. Alinhar expectativas e estabelecer um fluxo criativo pode ser vital para o negócio.

Por simples que pareça, operar redes sociais não é uma tarefa qualquer. É preciso estratégia, conhecimento da empresa, de seus produtos, de seus públicos, e, claro, da língua-pátria. Planejamento de comunicação e marketing são indispensáveis em uma sociedade cada dia mais voraz por consumo, mas igualmente exigente. Pense nisso antes de abrir uma nova rede social, ou de tentar se comunicar com seus públicos potenciais (interno ou externo), via jornal/rádio/TV corporativos, mídia e formadores de opinião.





(*) Nelson Tucci é jornalista profissional diplomado, com extensão em Meio Ambiente (ECA-USP)
e MBA (Fipecafi/FEA-USP) em Comunicação e Relações com Investidores.
É palestrante, escreve sobre comunicação, sustentabilidade
e mercado de capitais e parceiro da Unit Press.